La Vertuan: inovação, tecnologia e sustentabilidade aplicadas à produção de dermocosméticos

La Vertuan: inovação, tecnologia e sustentabilidade
aplicadas à produção de dermocosméticos.

Desenvolver cosméticos para a pele que proporcionem bem-estar, autoestima e satisfação aos usuários, associando tecnologia (como uso de nanopartículas) aos princípios ativos naturais, se tornou a missão da La Vertuan Dermocosméticos, empresa fundada em 1989 pela farmacêutica bioquímica Maria de Lourdes Vertuan, na cidade de Joinville (SC).

Ao longo de três décadas, a empreendedora vivenciou diversos ciclos econômicos, de períodos de crise à expansão, mas sempre entendeu que era preciso aliar seu conhecimento técnico às inovações tecnológicas que surgem no mercado. Nos últimos quatro anos, se dedicou ao reposicionamento da empresa, com foco no desenvolvimento de cosméticos naturais e na diversificação: entre as apostas recentes estão a linha masculina e os produtos com uso de nanotecnologia.

Um trabalho que contou com a consultoria e o apoio do Sebrae de Santa Catarina, como afirma Maria de Lourdes:
Se eu consegui levar a empresa ao patamar em que ela está hoje é por causa desse trabalho com o Sebrae.

Eu sou da área técnica e não tenho a visão e a experiência administrativa – não fosse por isso estaria desamparada.
A La Vertuan hoje é uma empresa que participa de feiras internacionais, conta com uma rede de 60 distribuidores em 20 estados, uma equipe de 14 pessoas e capacidade produtiva de 10 mil unidades/mês. Sua linha de produtos para tratamento de pele – especialmente anti-idade, anticelulite, filtros solares e clareamento de manchas – é dividida em três áreas de atuação: dermocosméticos (recomendada por médicos dermatologistas para o uso em casa), profissional (voltada para uso em clínicas de estética) e dermocosméticos men (para cuidados masculinos, com produtos distribuídos em barbearias-conceito e em e-commerce segmentado para este público).

O início: pioneirismo em fitoterapia
e manipulação no norte catarinense

Formada na Universidade Estadual de Maringá (UEM/PR) em 1979, Maria de Lourdes montou uma farmácia em Joinville no ano seguinte ao fim dos estudos. Mas aos poucos sentiu que aquele não seria seu destino por muito tempo: “com três anos no mercado vi que não tinha mais novidade nenhuma”, lembra. A ideia foi partir para o ramo da fitoterapia, um diferencial à época. Ela fez um curso de homeopatia e começou a trabalhar com produtos manipulados – foi a pioneira em Joinville, ainda na década de 1980.

Em 1989 nasceu então a Aroma & Magia, focada inicialmente em itens como xampus, condicionadores e perfumes, que depois virou a La Vertuan, direcionada especificamente para os dermocosméticos. Foi uma empreitada em um momento delicado da  economia brasileira: em 1990, o Plano Collor confiscou a poupança e praticamente tirou o dinheiro de circulação.
A produção de cremes para pele começou ao longo daquela década, de maneira bem rudimentar, a partir de algumas encomendas que recebia.

Um professor que conhecia me pediu cremes para o joelho e fui desenvolver.
Sempre fui da área de pesquisa e desenvolvimento. Quando entreguei ele gostou tanto que demos início a uma linha voltada a profissionais”, conta
Maria de Lourdes.

Foi em 1996 que a La Vertuan lançou a linha profissional, que alçou a marca ao mercado nacional nos anos seguintes. Em 2013, a empresa começou também a atender outras marcas, terceirizando parte de sua produção.

Nos últimos anos sentimos a necessidade de transformar a antiga linha de origem sintética em produtos mais orgânicos, criando uma ‘linha verde’ sem conservantes e ativos sintéticos”, afirma a empreendedora.

Em junho de 2016, a La Vertuan lançou a marca Bio Vegan, para atender o mercado de cosméticos naturais e veganos e o Ministério do Desenvolvimento, Comércio e Indústria (MDIC) selecionou a novidade para representar o Brasil em um showroom com produtos nacionais nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. No começo do mesmo ano, a empresa tinha concluído, com a consultoria do Sebrae/SC, seu reposicionamento no mercado, com a divisão de produtos em três linhas: dermocosméticos, dermocosméticos profissionais e masculina. “Fizemos essa mudança na identidade acompanhando as tendências ligadas à questão ambiental, mas também no posicionamento de mercado. Vimos que nossos produtos tinham muito potencial para as clínicas de estética e  reposicionamos a linha para atender o consumidor final que busca qualidade, competindo com marcas internacionais a um preço menor”, resume. Nos últimos anos sentimos a necessidade de transformar a antiga linha de origem sintética em produtos mais orgânicos, criando uma ‘linha verde’ sem conservantes e ativos sintéticos”, afirma a empreendedora. As informações e as tendências apresentadas nos relatórios do Sistema de Inteligência Setorial (SIS) do Sebrae/SC contribuíram de maneira decisiva para a empresa acompanhar as novidades e desenvolver novos produtos: “nós acompanhamos tudo. Meu papel hoje também passa por buscar essas informações, entender o que está acontecendo para saber se estamos no caminho certo”.

De olho no mercado externo Além do apoio para reposicionamento, o trabalho do Sebrae ajudou a La Vertuan no desenvolvimento de outras áreas, como nas questões regulatórias, fiscais e contábeis, marketing e definição de indicadores de gestão, além da participação em feiras nacionais e internacionais – em uma das mais recentes viagens, a Bologna (Itália), a empresa lançou uma linha de produtos naturais que será apresentada no Brasil em um evento no início de 2019. “Além dos ajustes que estamos fazendo em nosso e-commerce e na reestruturação da equipe comercial, estamos de olho no mercado externo, buscando parcerias com outras empresas, desenvolvendo uma formulação adaptada para mercados específicos, que demandam produção sem nenhum  componente animal, por exemplo”, antecipa Maria de Lourdes. Autogeração de energia solar Empreendedora dedicada à pesquisa e ao desenvolvimento de novas ideias, não poupa esforços em buscar soluções sustentáveis e tecnológicas que tragam diferenciais ao seu negócio. Hoje, a empresa produz mais de um terço da energia que consome por meio de captação solar – o projeto é se  tornar 100% autossuficiente nos próximos anos.

Aplicação de nanotecnologia Outro fator que destacou a La Vertuan no mercado foi a aplicação de nanotecnologia em sua linha:

“estamos à frente do nosso tempo, utilizando um cosmético para vaporizar a roupa, fazendo com que os componentes naturais da fórmula migrem do tecido para a pele, atuando contra flacidez, celulite, além de repor minerais na pele e prevenir o envelhecimento precoce, entre outros problemas”,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *